José Cícero da Silva nasceu em 1967, em Arapiraca, segunda maior cidade do Estado de Alagoas. Entre outras atividades, trabalhou como servente de pedreiro, cortador de cana, agricultor, plantou mamão e colheu flores. Foi também cortador de cana até que, no ano 2000, descobriu a sua vocação para o artesanato. É um dos artistas populares que devem a sua iniciação ao Mestre Lampião de Arapiraca. Dos filhos que Aluísio Nogueira Mota, o Lampião, teve, como ele mesmo diz “um rebanho que está pelo mundo”, nenhum herdou o dom dos cata-ventos. Mas seu discípulo predileto, Zezinho, continuará sua obra. Trabalha exclusivamente com madeiras que ele mesmo vai buscar nas matas do seu município. Sua produção de arte popular é das mais férteis, imaginativas e diversificadas e, neste momento está sendo “descoberto” pelos experts do sudeste do país. Suas fontes de inspiração são as histórias que ouvia na sua infância, a sua imaginação e os seus próprios sonhos. Criatividade e cor talvez sejam as duas palavras que melhor resumem sua obra. Em 2000 descobriu sua vocação para a arte e desde então nunca mais parou. Mestre Zezinho é hoje um dos mais respeitados artistas populares de Alagoas, entre tantos outros que esse estado viu nascer. Antes de Lampião, ainda na infância, Zezinho foi influenciado pelo seu pai, um construtor de casas de taipa, barro e madeira; foi aí que Zezinho deu seus primeiros passos, utilizando sobras das construções de seu pai para fazer pequenos carrinhos que ele utilizava como brinquedo. O sucesso foi tanto que Zezinho passou a fabricar e vender os carrinhos de madeira para as crianças da vizinhança. Atualmente, a madeira que o artista utiliza na composição de suas peças é coletada nos arredores Arapiraca; ele só utiliza madeira velha que foi descartada por outros. Zezinho já não precisa trabalhar em outros ofícios, hoje o sustento de sua família vem da sua arte; ele é casado e tem cinco filhos. Seus trabalhos constam em catálogos nacionais de arte popular, revistas Casa Cláudia, Casa Vogue, entre outros. Mestre Zezinho recebeu alguns prêmios pela sua obra, como “O melhor artesão do ano” (Museu Théo Brandão, Maceió-AL, 2009) e menção honrosa do SESC/ Alagoas.

Tamanho: 56 x 30 x 10 cm.

Preço: R$ 800,00.

Mais Informações